De volta a Idade das Trevas: Trump eleito!



“But based on history we are due another period of destruction, and based on history all the indicators are that we are entering one.” https://medium.com/@theonlytoby/history-tells-us-what-will-happen-next-with-brexit-trump-a3fefd154714#.clm7ahc6z

Ainda escuto de uma ou outra pessoa dizer que exagero ao falar que podemos entrar numa Guerra nuclear tão cedo quanto ano que vem. Resolvi fazer esse post.

Tem um motivo muito simples para o Putin ter colocado o dedinho nas eleições americanas a ponto de chegarmos aonde chegamos: ele quer uma OTAN fraca, e os Estados Unidos isolado.

Veja bem, não é novidade nem mentira e muito menos exagero dizer que o Putin quer sim uma guerra mundial (http://istoe.com.br/para-televisao-russa-terceira-guerra-mundial-ja-comecou/), ele quer dominar mais territórios, ele não se importa de ter que matar uns milhões na Síria ou em qualquer outro lugar pelos seus interesses porque ele é um sociopata megalomaníaco que só vê o próprio umbigo.

A coisa está num nível tão avançado que treinamentos contra ataques nucleares e químicos têm se intensificado na Rússia, e o Putin pediu para que os agentes de seus governos trouxessem seus filhos de volta caso eles estivessem em outros países ─ especificamente, os países europeus. Não, não estou brincando http://www.wsj.com/articles/russia-revives-nuclear-shelters-as-cold-war-heats-up-1477301408.

E o melhor de tudo, para o Putin, claro, é que a Europa já está fraca graças ao Brexit, em um nível econômico, político e social, e uma Europa fraca é uma Europa que não consegue segurar a Rússia. Nesse ponto, ele já ganhou. E aí vem o Trump.

O Trump não quer saber de imigrantes. Ele não quer saber de sírios morrendo em um país distante pro qual ele está pouco se lixando. Ele não se importa com nada que não seja o próprio reflexo (ou seja, outros homens brancos cis hétero) porque ele é um sociopata narcisista e megalomaníaco assim como o Putin. E com o Putin cada vez mais ousado, a OTAN vai tentar amenizar as coisas, prevenir um desastre, vai olhar pra Europa e roer as unhas porque a Europa não está aguentando o tranco, aí vai virar para os EUA e falar “amigo, colega, camarada, vamos juntar as forças aqui, vamos fazer alguma coisa, peloamorddels para parar a Rússia”. E o que o Trump vai fazer? Nada. Ele já tinha dito que não ia se envolver antes de ser presidente, duvido que isso vá mudar agora.

Sem freio, Putin fará o que bem entender. Daí pra frente, é só uma questão de tempo até a última gota d’água cair e se dar início a Terceira Guerra Mundial. Só que dessa vez temos bombas nucleares, olha que bacana. E não se engane de achar que o Putin não faria ataques nucleares, porque além de ele ser louco, a Rússia tem um histórico destrutivo alarmante, basta dar uma olhadinha numa tática que eles curtem bastante, chama terra arrasada (http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/historiageral/resistencia-sovietica.htm).

E também não vamos nos enganar pensando que o único motivo pro Trump não topar enfrentar a Rússia é porque ele odeia imigrantes. Não. Sabe o que aconteceu com os EUA logo após a Primeira Guerra Mundial, por exemplo? Eles tiveram o maior boom econômico do século XX, graças, em grande parte, a venda de equipamentos de guerra, que deram um boost na economia. Eles ganharam muito com a miséria de outros países, especialmente ─ adivinha quem ─ a Alemanha, que se afundou em dívidas e entrou numa recessão bruta que ajudou a levar a ─ adivinha o quê ─ Segunda Guerra Mundial. E aí eles ficaram ricos vendendo armas de novo (http://www.globalresearch.ca/history-of-world-war-ii-americas-was-providing-military-aid-to-the-ussr-while-also-supporting-nazi-germany/5449378).

Não somente isso, a indústria alimentícia americana começou a inventar uns produtos congelados, outros em pó, uma comida que podia durar anos (olha esse Toddy/Nescau aí na sua mesa e agradeça a guerra por ele!) e começou a ganhar com isso também. Então, acho que já deu pra entender que os EUA lucra horrores com guerras, especialmente as mundiais (bacana, né?). E olha, acho que tem uma outra coisa que o Trump gosta além dele mesmo, e essa coisa é dinheiro. Considerando tudo isso, pra quê lutar com a Rússia se é possível lucrar de uma guerra com ela versus o mundo?

O triste é que nem Trump, nem Putin, nem eleitores do Trump perceberam uma coisa: uma bomba não faz seleção. Ela não olha pra um estado e pensa “hmmm, tem muito homem branco aqui, deixa eu ir ali matar uns negros e uns gays que é melhor” ou “hmm, não, aqui é um estado russo com menos provisões pra um ataque nuclear, deixa eu atacar aquele ali onde menos gente vai morrer”. Uma bomba cai. Uma bomba mata. E sem exceções, sem exclusões. Ninguém está a salvo.

Mas o Putin pede pros filhos de seus agentes do governo voltarem na ilusão de que sim, eles estarão a salvo. Na ilusão de que ele conseguirá domar e controlar os efeitos de uma guerra nuclear. E o Trump é outro que acredita nessa balela.

E eu vejo muita gente falando “vocês vão se arrepender” com ódio para os eleitores do Trump. Esses 48% que votaram no Trump vão se arrepender, é inevitável, o problema é que a outra metade do país e o resto do mundo vai se lascar junto com eles. Tudo porque o ódio ganhou dessa vez. O ódio e o medo. E apesar de tudo que houve, eu farei o máximo para não odiar quem votou nesse laranja, porque eu não quero que esses sentimentos vençam em mim também.

Sei lá. Talvez nada disso aconteça (improvável, mas vai saber). Talvez eu leia esse texto daqui dois anos no Timehop e pense “ufa, não foi nada disso”. Mas por enquanto ‘tá bem isso e eu só queria que o ódio ganhasse menos vezes nesse mundo, mas pelo visto nós, humanos, ainda não aprendemos a viver sem ele.

Então, quero fechar esse post com um pedido: não alimente o ódio na sua vida. Parece que é uma coisa pessoal, parece que não afeta mais ninguém, mas quando juntamos milhões de pessoas que odeiam e damos a elas o poder do voto ou uma arma, colocamos a vida de milhões em risco. Não creia que você está isolado. Não creia que seu ódio é justificável. Não creia que ele é útil. Não creia que ele é de Deus. Vamos sair dessa aprendendo a aceitar mais.

Anseio pelo dia em que finalmente perceberemos o quão mais fácil é viver sem odiar as pessoas.


Espero ter a sorte de ver esse dia chegar. 

0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Aleatório

'Bora Falar Comigo