Carta Para um Velho Amigo

Chegou a hora que eu mais temia, a hora de admitir o fim, seguir em frente e buscar o que ocuparia seu lugar. Como foi difícil! Foi praticamente impossível! Procurei meses, mas nenhum se encaixava tão perfeitamente na minha vida, e confesso que ainda não se encaixa, não como você. 




Não fique feliz quando ele tem algum problema e eu tenho de ajudar, e eu surto, não fique feliz com a nossa desgraça. Não torça para que algo dê errado, como houve hoje, e eu seja forçada a pedir a sua ajuda, a voltar pro seu lado de novo. Seja menos egoísta, seja mais aquele amigo maravilhoso que eu guardo com carinho na memória.

Sabe, não pense que você foi o único que sofreu. Não pense que foi fácil seguir em frente, brincar de uni-duni-tê com companheiros novos, com tantas escolhas nesse mundo afora e te trocar. Não pense, nem por um minuto, que foi simples seguir em frente e te deixar pra trás. 

Eu tentei levar por muito tempo. Eu ignorei a primeira vez que você demorou pra aparecer quando eu precisei de você, você lembra, deve lembrar, daquele puta momento de aperto. E você? Bem, você me deixou na mão. Não, não estou te cobrando de nada, eu sei os porquês, e eu também sinto muito. 

Fingi não notar nada na segunda vez. Na terceira, na quarta, na quinta, e em tantas outras. Tantas vezes que eu precisei de você e você me deixou na mão, perdi a conta. Eu tive de parar de negar a verdade: você estava cansado já. Cansado de tudo que eu exigia de você. 

Jamais pensei que eu era tão terrível na sua vida, achei que éramos parceiros pra todas as horas, sabe? Mas talvez você esteja certo, talvez eu realmente abusava de você e pedia mais do que você era capaz de oferecer.


Nada estava 100%, entende? Faltava tudo. Faltava a sua beleza, sua leveza. Faltava seu brilho pálido e o jeito como eu via o sol em você. Faltava até mesmo suas falhas, as marcas, tantas que eu havia deixado; a forma como você balançava sempre que me via, faltava tudo. 

Porém, o dia chegou. É claro que chegou. Ele não é você. Ele é...diferente. Melhor? Talvez. Ele não me deixa na mão. Já exigi tanto, já forcei tanto, já fui além de todos os limites, ou do que eu achava que era limite, e ele está ali, firme e forte.

Mas não importa, sabe? Não mesmo, porque não consigo esquecer de todos nossos momentos juntos. De todas as vezes que você me salvou, que me ajudou, que simplesmente esteve lá por mim. Cinco anos juntos, como posso esquecer? Como posso relevar todo esse tempo, toda essa vida? Essa nossa parceria é inesquecível, incomparável.

No fundo eu ainda espero acordar, começar o dia e te ver. Eu o chamo de bebê, mas você também é meu bebê. Você sempre será o meu bebê, porque eu amo você, mesmo agora, mesmo quando não estamos mais juntos. Você é o bebê original e todos os outros são cópias.

Comecei a sentir falta dos nossos problemas até, acredita? Sinto falta até das vezes que você hesitou em me ajudar, das brigas bobas e unilaterais - afinal, só eu gritava e você só ficava parado esperando que eu me acalmasse. Você, todo pálido, frio e racional, e eu essa pilha de nervos.

Sinto falta da forma como o sol refletia em você e me cegava, algo que me irritava tanto. Sinto falta da marca do meu punho no plástico cinza, do adesivo fofinho que cobre o buraco do prego errado (aquele técnico não te amava como eu, e te feriu, sempre pedirei perdão por isso), sinto falta da sua tela já bamba, fazendo com que eu temesse o dia que ela não ficaria de pé sozinha mais. Sinto falta da sua cor, do seu design, da forma como você era único, de tudo. 

Sinto falta de você. Eu posso ter te trocado, eu posso ter comprado esse modelo mais novo, mais veloz, mas você viverá sempre na minha memória e no meu coração, porque você...

...você é o computador que eu nunca vou esquecer 



Não pense nem por um minuto que o Asus tomou seu lugar no meu coração, seu lindo! 

Obs.: Ta-da! Surpresa! Curtiram? E se é que vale de alguma coisa, eu realmente trato meus notebooks como filhos e sinto muita falta do meu Vaio. Tem gente que se apega a bichos, eu me apego a notebooks e celulares. DON'T JUDGE ME.


0 comentários:

Postar um comentário

 

Twitter Aleatório

'Bora Falar Comigo